Blog Visitar Portugal

Home

Para o menu | Para a pesquisa

Ir para "Visitar Portugal" (www.visitarportugal.pt)

Póvoa de Lanhoso, um concelho histórico

, 11:20 - Link permanente

São muitos os pontos históricos a visitar no concelho de Póvoa de Lanhoso, distrito de Braga.

Santa.jpg
Monte do Pilar
Iniciando pela sede do concelho, é de salientar o Monte do Pilar, de onde se avista toda a área em redor numa esplêndida paisagem.

n-s-pilar-1.jpg
Santuário de Nossa Senhora do Pilar
Além da imagem de Nossa Senhora do Pilar, temos o Santuário composto por cinco capelas da Via Sacra.

castelo-2.jpg
Castelo de Lanhoso
Ali mesmo ao lado destaca-se o castelo e na base do monte o Castro, sinal do III milénio a.C.

Também pertencendo aos tempos antigos, no lado oposto do monte em relação ao castro está um troço da Via Romana.

Neste mapa pode ver alguns pontos nas diversas localidades deste concelho e onde pode passar mais de um dia em visitas, onde não pode esquecer a gastronomia regional.

Rio de Onor e Rihonor de Castilla, aldeias vizinhas e irmãs

, 07:06 - Link permanente

Vista da Aldeia
A aldeia e o rio
Rio de Onor - Uma aldeia do concelho de Bragança.

Há pouco tempo estivemos a viajar pelo concelho de Bragança, e esta foi uma das aldeias visitadas. Aliás tem que ser. Qualquer passeio pelo concelho de Bragança tem forçosamente que incluir uma visita à aldeia mais internacional do país, Rio de Onor.

Ao chegarmos à aldeia temos mesmo que deixar o carro no parque de estacionamento que existe ali à entrada. Embora seja possível entrar na aldeia com o carro, não é recomendado. Primeiro porque os habitantes ou visitantes andam pelas ruas à vontade, sem necessidade de se preocuparem com o trânsito, segundo porque a pé podemos aproveitar bem e ver com calma tudo o que nos aparece na frente. E vale a pena!


Casas de Rio de Onor
Casas da aldeia


Nesta aldeia o tempo parece ter parado. Nas casas antigas ainda se vê em muitas o típico das casas de aldeia, o andar superior para os habitantes e o andar térreo, ao nível da rua, para guarita dos animais. Embora muitas tenham sido transformadas em habitação nos dois pisos, em muitas outras ainda se nota esta distinção.

A aldeia de Rio de Onor é vizinha da aldeia espanhola Rihonor de Castilla. Aliás, não se pode dizer que seja vizinha. As duas aldeias formam uma única, que distinguem como sendo Rio Onor de Cima e Rio Onor de Baixo. O rio que as separa, embora com o nome de Contensa, é mais conhecido pelo nome de Rio Onor. Em Espanha é conhecido como rio Fontano.


rio-2.jpg
Rio Onor, lado espanhol


O convívio entre as populações das duas aldeias sempre foi uma constante, não se considerando como duas aldeias em dois países diferentes mas sim como uma única. Qualquer dos habitantes de uma das aldeias vai visitar ou comprar o que necessita à outra aldeia. Todos os habitantes falam indiferentemente português ou castelhano, ouvindo-se ainda o quase extinto dialeto rionorés.

Alguns dos habitantes tanto de um lado da fronteira como do outro cultivam terras no lado oposto. Há um rebanho único de cerca de 300 ovelhas e 100 cabras que pertence a ambas as aldeias e que pasta indiferentemente num país ou no outro, em pastos comunitários.

Mesmo antes da década de 1990, quando havia controle de fronteiras, ali passavam de um lado para o ouro sem qualquer problema, conforme nos contou uma habitante local.

fronteira-1.jpg
Local da fronteira


Curiosamente, enquanto estávamos no ponto onde se vê a marca da fronteira dos dois países, conversámos com uma habitante espanhola que ali, naquele mesmo local da separação dos países, aguardava a chegada do carro de pão português.

igreja-3.jpg
Igreja de Rio de Onor
igreja-espanha-1.jpg
Igreja de Rihonor de Castilla


Cada uma das aldeias tem a sua igreja matriz, sendo no entanto semelhantes uma à outra.

Veja mais informações sobre Rio de Onor em Visitar Portugal

Pelourinho, um sinal concelhio

, 07:20 - Link permanente

Um Pelourinho, ou Picota, é uma coluna de pedra que normalmente era construída para comemorar a elevação de uma localidade a sede de concelho. Estando exposto num local público, como uma praça central da vila ou junto da Câmara Municipal, era o local onde eram expostos os condenados e os criminosos.

Pelourinho de Azambuja
Pelourinho de Azambuja, com a base em degraus,
o fuste e o capitel sobre as barras de sujeição


A forma típica de um pelourinho é uma coluna ou fuste, lisa ou estriada, cilíndrica ou prismática, que assenta sobre uma base. Esta base é habitualmente composta por um ou mais degraus. Sobre a coluna assenta o capitel também feito em pedra, das mais diversas formas, desde uma simples esfera até pequenas gaiolas bastante elaboradas e muitas outras formas.

Abaixo do capitel estavam 4 ganchos, que ainda existem em muitas destas construções. Nestes ganchos eram presos os delinquentes, que ficavam ali durante muito tempo para exposição pública e escárnio de quem passava.

Até ao século XV terá havido inclusivamente execuções nos pelourinhos, com o que faziam um espetáculo ao qual assistia toda a população. Após este século era costume os condenados serem expostos no pelourinho e depois levados para a forca onde eram executados.

Em Portugal existem pelourinhos em quase todos os concelhos, e até mesmo mais de um em cada concelho. Muitas localidades foram elevadas a concelho, recebendo o seu pelourinho, mas entretanto perderam o seu estatuto.

Dado o pouco interesse histórico anterior ao século passado, muitos pelourinhos foram desmontados sendo as suas peças utilizadas para outro fim, ou até mesmo desaparecendo. Alguns foram reconstruídos, ou com as peças originais ou com as peças reconstruídas.

Houve também muitos que foram destruídos no século XIX pelos liberais, por serem considerados símbolos da tirania.

pelourinho-1.jpg
Pelourinho de Burgo,
Arouca
cruzeiro-de-sao-joao.jpg
Cruzeiro de São João,
Castelo Branco
obelisco.jpg
Obelisco de Vila Real
de Santo António


Não se pode confundir pelourinhos com cruzeiros ou com obeliscos. Enquanto o pelourinho era um símbolo concelhio, um cruzeiro é uma coluna terminada em cruz, um símbolo cristão. Um obelisco é uma coluna habitualmente prismática quadrada, erigida para comemorar um acontecimento importante na localidade.

Na página dos Pelourinhos em Visitar Portugal mostra-se alguns exemplos de pelourinhos.

Portugal de A a Z (II)

, 08:17 - Link permanente

Memorial da Ermida
Memorial
da Ermida
Irivo - Uma aldeia do concelho de Penafiel, é conhecida por conter um dos 58 monumentos da Rota do Românico, neste caso o Memorial da Ermida.


Fortaleza de Juromenha
Fortaleza de
Juromenha
Juromenha - Uma localidade do concelho de Alandroal, distrito de Évora, é conhecida pela sua fortaleza medieval. Esta fortaleza foi reestruturada em meados do século XVII, sendo pouco depois parcialmente destruída por uma explosão.


Vista sobre a Povoação
Vista sobre
Povoação
Lomba do Carro - Uma localidade do concelho de Povoação, na Ilha de S. Miguel, Açores. Dada a sua situação próximo do limite sul da ilha, da Ermida de Santa Bárbara, que se situa no limite sul da localidade, obtém-se uma vista espetacular sobre o mar e sobre a sede do concelho, Povoação.


Igreja de São João Batista
Igreja de São
João Batista
Monforte - Vila sede de concelho do distrito de Portalegre, recebeu a primeira Carta de Foral em 1257 de D.Afonso III. A vila foi oferecida por D. Dinis a sua filha D. Isabel, como dote pelo casamento.


Castelo de Numão
Castelo de Numão
Numão - Uma povoação do concelho de Vila Nova de Foz Côa, distrito da Guarda, é conhecida pelo seu castelo. Situado no cimo do monte a 2 quilómetros da fronteira com Espanha, na zona raiana, o castelo serviu como proteção contra os ataques. Como habitual, a povoação desenvolveu-se à volta do castelo.


Capela do Senhor dos Aflitos, Olhão
Capela do Senhor
dos Aflitos, Olhão
Olhão da Restauração - Cidade e sede de concelho do sotavento algarvio, vizinho do concelho de Faro. O seu apelido de "Restauração" é um título concedido pelo rei D. João VI como recompensa pela notícia trazida por pescadores no barco "Bom Sucesso" ao Brasil, da restauração após a vitória contra os franceses.


Vista Geral de Porto Moniz
Vista Geral de
Porto Moniz
Porto Moniz - Uma vila e sede de concelho da Região Autónoma da Madeira. Situada na zona norte da ilha da Madeira, é conhecida pelas suas piscinas naturais. É por este motivo um dos concelhos mais visitados da ilha.


Avenida Marginal de Quarteira
Avenida
Marginal
Quarteira - Uma vila do concelho de Loulé, no Algarve, é das mais movimentadas em termos turísticos devido à excelência das suas praias. A Avenida Marginal é o local mais concorrido tanto por nacionais como por estrangeiros.


Novos temas

, 07:11 - Link permanente

Se pretender ver aqui um tema sobre Portugal desenvolvido, indique-o! Escreva num comentário que tema pretende aqui ver e, se for viável, será incluído num dos dias seguintes.

Colabore para dar a conhecer o nosso país aos nacionais e aos estrangeiros.

Portugal de A a Z (I)

, 11:49 - Link permanente

fortaleza-frontal.jpg
Fortaleza de
Abrantes
Abrantes - Uma cidade cuja origem remonta ao início da Nacionalidade Portuguesa. D. Afonso Henriques atribuiu foral a Abrantes depois de doar o Castelo e o seu termo à Ordem de Santiago da Espada.
(Foto: Castelo de Abrantes)


barrancos1.jpg
Castelo de
Noudar
Barrancos - O concelho mais a leste do Baixo Alentejo e do distrito de Beja, foi criado no século XIII, com início em Noudar. Devido à perca de importância, a vila de Noudar foi ficando despovoada e transferida a população para Barrancos.
(Foto: Castelo de Noudar)


Vista do Porto de Câmara de Lobos
Vista do Porto de
Câmara de Lobos
Câmara de Lobos - Cidade da Ilha da Madeira, pertence ao concelho do mesmo nome que existe desde 1835. A anterior vila foi elevada a cidade em 2 de agosto de 1996. É neste concelho que é produzido o famoso Vinho da Madeira.
(Foto: Vista do Porto de Câmara de Lobos)


Vista Aérea de Dornelas do Zêzere
Vista Aérea de
Dornelas Zêzere
Dornelas do Zêzere - Uma freguesia e localidade que pertence ao concelho de Pampilhosa da Serra, distrito de Coimbra, é conhecida pelas suas belas paisagens sobre o rio Zêzere.
(Foto: Vista Aérea de Dornelas do Zêzere)


Aqueduto da Amoreira
Aqueduto da
Amoreira
Elvas - Uma cidade e sede de concelho do distrito de Portalegre, o seu ex-libris e ponto mais visto e conhecido é o Aqueduto da Amoreira. O seu nome provém do ponto inicial do aqueduto, a localidade de Amoreira. O final, após um comprimento total de 8,5 quilómetros, é o centro da cidade de Elvas. Os seus 843 arcos fazem dele o maior aqueduto da Península Ibérica.
(Foto: Aqueduto da Amoreira)


Pateira de Fermentelos
Pateira de
Fermentelos
Fermentelos - A Pateira de Fermentelos, junto da localidade com o mesmo nome no concelho de Águeda, é uma lagoa na confluência dos rios Cértima e Águeda. A maior lagoa natural da Península Ibérica, ocupando uma área de cerca de 2,6 km2, é muito rica em diversas espécies vegetais e animais.
(Foto: Pateira de Fermentelos)


vista-ponte.jpg
Vista sobre
Gimonde
Gimonde - Aldeia do concelho de Bragança, é conhecida pela sua ponte em xisto. Apesar da sua pequena dimensão e da localização no interior, é uma aldeia que não se deixou morrer nem ser abandonada.
(Foto: Vista da Igreja para a ponte de Gimonde)


Paisagem sobre a Horta
Vista da
Cidade da Horta
Horta - Com um nome que pode derivar da grande quantidade de hortas e jardins que ali existiam, tendo a ilha do Faial ainda a denominação de Ilha de São Luís, foi ocupada em 1465 pelo flamengo Joss van Hurtere que ali procurou prata e estanho.
(Foto: Vista sobre a cidade de Horta)

As vias ou estradas romanas, existem há 2000 anos e continuam a ser utilizadas

, 19:14 - Link permanente

Via Romana em Póvoa de LanhosoCom a expansão romana foram construídas vias ou estradas a partir de 300 a.C. para facilitar a deslocação dos exércitos, dos funcionários e dos civis entre todo o Império Romano e para permitir a sua expansão e consolidação.

Desde pequenas estradas locais até vias amplas e de muitos quilómetros de extensão, eram construídas com o devido cuidado para a drenagem das aguas da chuva e ladeada por um caminho pedonal. Muitas das estradas ainda existem ou foram transformadas em estradas modernas.

A grande amplitude da rede viária romana ao longo de toda a Europa levou à célebre expressão "Todos os caminhos vão dar a Roma". Sendo Roma o centro do império, toda a rede se concentra naturalmente nessa cidade.

Em Portugal as mais conhecidas vias romanas eram as que ligavam as principais cidades, Lisboa, Porto, Braga, Coimbra, entre outras.

Em Visitar Portugal estão apresentados muitos exemplos de antigas vias romanas que, apesar de terem mais de 2000 anos de idade, continuam a bem servir o seu propósito inicial, a ligação entre as cidades.


Ponte Romana em Safara, MouraQuando era necessário atravessar rios, eram construídas pontes, desde poucos metros de comprimento até algumas dezenas de metros. A maior parte dessas pontes continua de pé a fazer o seu serviço. Algumas das pontes tiveram que ser substituídas por outras mais modernas, devido principalmente à sua pouca largura que não permite a circulação de veículos automóveis, outras porque entretanto começaram a ficar degradadas e em perigo de caírem.

Fotos: Via Romana em Póvoa de Lanhoso, Braga e Ponte Romana em Safara, Moura, Beja

Mais informações: Vias Romanas e Ponte Romanas

Santuário de Nossa Senhora da Abadia

, 10:21 - Link permanente

Numa viagem a Amares, no distrito de Braga, não se pode deixar de visitar um dos mais conhecidos santuários da região. Igreja de Nossa Senhora da Abadia

Considerado como o Santuário mais antigo de Portugal, a sua história remonta aos séculos VII e VIII, ligando a sua origem a uma lenda referente ao aparecimento da Nossa Senhora da Abadia.

O Santuário atual situa-se no século XVIII, precisamente no mesmo local onde existiu uma ermida, não havendo qualquer vestígio dos edifícios que ali existiram anteriormente.

Mais informações em Santuário de Nossa Senhora da Abadia, em Visitar Portugal.

Mosteiro de Santo André, Rendufe

, 15:33 - Link permanente

mosteiro.jpg O Mosteiro de Santo André, em Rendufe, Amares, distrito de Braga, tem a sua origem no tempo do Conde D. Henrique, pai do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques. Este mosteiro tornou-se numa das principais casas beneditinas entre os séculos XII e XIV.

Mais informações em Mosteiro de Santo André, em Visitar Portugal.

Bem Vindos

, 18:53 - Link permanente

Bem vindos ao Blog Visitar Portugal

Neste espaço, associado ao site Visitar Portugal (https://www.visitarportugal.pt), serão apresentados assuntos diversos, num complemento ao apresentado no site.

Permitindo os comentários dos leitores, é assim criado um espaço de conversa sobre o que existe em Portugal e que todos podemos visitar.

Espero que seja do agrado de todos. Colabore! Escreva, dê a sua opinião!

Fernando Dias